Follow by Email

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

De repente 23 - OFF -

Eu carrego um dos sete pecados desde sempre. A PREGUIÇA. Eu tenho preguiça de quase tudo. Eu me deixo ser preguiçosa sempre que posso. Ultimamente quase nunca. Eu tinha um cachorro. Eu tinha preguiça dele. Cara, ele latia de mais, comia de mais, dormia de mais, lambia de mais, era teimoso de mais, ele até era gordo de mais! Resumindo, ele me cansava. Mas eu sinto falta dele.
A preguiça é meio masoquista quando você gosta de sentir preguiça em certas situações. Ex: Eu e meu ex-cachorro e eu e minha família...

Eu tenho preguiça dos meus pais. Meu pai começa a falar hoje e só vai parar semana que vem, quando eu já dormi, acordei, pensei 200 baboseiras entre as explicações ininterruptas dele, dormi de novo, babei, fiz de conta que entendia e disse "aham, sim, eu concordo".
- Que? Como tu concorda?
- Sei lá..simplesmente concordo..ou não..xii
Ai eu olho pra minha irmã antena com aquela cara de: Com o que eu estou concordando? Se ela entende ou não, eu não sei. Mas ela sempre irá fazer um comentário. Por que ela sempre faz um comentário. Acho que tenho preguiça da minha irmã também. Enfim, ela comentará e eu saberei do que se trata a minha concordância.

Voltando a minha irmã antena, cujo nome não é antena, mas ela parece uma, às vezes tenho vontade de desligar ela. O problema é que eu tenho preguiça de procurar o botão OFF.

Já minha mãe, acho que tem tanta preguiça quanto eu. Mas é de responder o que eu tenho preguiça de esperar ser respondido. Ela começa a responder, xinga o tio da novela, pensa 5 minutos, depois volta a responder algo nada a ver com a pergunta. Já falei pra ela que isso é consequência da mania doentia de limpeza que ela tem. Minha mãe não consegue ficar dentro de casa parada. Chamo isso de complexo de máquina. Complexo esse, que me da preguiça só de vêla catando tudo que é deixado pelo caminho. Se minha mãe se perdesse jamais conseguiria achá-la através de rastros, por que com certeza ela os limparia.

Eu tinha 5 anos quando caçava minhocas com minhas amigas. Eu até ajudava a caçá-las, com folhas, por que na mão era nojento. Mas eu tinha preguiça e nojo de cuidar delas. Então minha amiga Vanessa, que adorava minhocas, cuidava de todas, enquanto eu ficava off desenhando casinhas pra elas. Eu sou uma abusada? Não. Apenas tenho preguiça. A Vanessa não tinha preguiça e nem nojo de minhocas, então eu boa amiga que sou, a deixava feliz com suas e com minhas minhocas.

Vou fazer 23 em alguns dias e finalmente aprendi a cuidar das minhas minhocas. Hoje não largo mais minhas minhocas nas mãos de pessoas de boa vontade. Quando compreendi a frase, QUER BEM FEITO FAÇA VOCÊ MESMO, aprendi a domar a preguiça. Deixar alguém fazer algo por você, pode ter sérias consequências. Não sabia que ter preguiça podia ser tão ruim. Tive que sair do OFF e colocar a mão nas minhocas.

A Vanessa faz tempo que não vejo. Sei que está casada e com um filho. Nunca a imaginei mãe e casada. Por isso eu admiro a Vanessa, por saber que ela ainda sabe cuidar de suas minhocas sem medo de crescer e viver ON. Acho que é por isso que éramos amigas, um OFF não seria nada sem um ON.

Débora Souza - 03/06/2009

4 comentários:

  1. ahah gostei daqui...

    Muito bom ler seus textos, viajei na questão do off ou on... ainda não sei em qual patamar estou, mas, acho que consigo estar um pouco em cada um pra balancear, mas ultimamente estou off pra um monte de gente que adora cuidar da vida dos outros, leia-se da minha. Mas isso também passa... bom...


    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. eu tenho preguiça.. se tivesse uma pessoa pra me dar banho eu ia adorar.

    ps. 23? ai ai, em lembro disso.

    ResponderExcluir
  3. Esse já é um grande aprendizado!... Vc até domou a preguiça e escreveu um post maior, com conteúdo! Muito bom. Quem sabe trata-se de um longo despertar. 23 anos, a preguiça indo embora. ÀS vezes, a gente leva um longo tempo para acordar para a vida. Bem-vinda!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Pulga Em Desespero,

    não se faça de coitada ou de culpada...
    abs,


    Gustavo

    ResponderExcluir