Follow by Email

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Desejo que enfie sua vida no seu bolso

Desejo que no próximo ano você faça bastante cagada, burrada e muita merda. Desejo que você enfie bastante o pé na jaca, fale tudo que não consiga segurar, mande quem tiver a fim pra aquele lugar bem longe. Desejo que você faça um monte de besteiras, beba quando tiver vontade, ria quando não poder, vomite em lugares inconvenientes, coma sem remorso, cante bem desafinado, chute tudo quando necessário, use Havaianas quando não deveria e mostre as pernas quando não poderia.
Desejo que você enfie sua vida no seu bolso e leve ela pra onde quiser. Desejo que você pense que é um pássaro e se atire de onde poder.

Débora Souza 11.11.2010

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

PANORAMA DAS ARTES VISUAIS NH

Quem mora em Novo Hamburgo, pode aproveitar e visitar ...


... Estou participando também!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Madura? Por que não verde?

Já ouvi muitas vezes as pessoas me dizerem que sou madura para a minha idade. "Tenho 24 anos, não deveria ser?"
Ouço isso desde sempre. "Sempre mesmo, é sério."
Ta pensando que isso é bom? "Bom é comer chocolate até vomitar." (Já fiz isso)
Não é bom nada. A impressão que tenho é que as pessoas menos maduras, aproveitam mais a vida do que eu.
Quando ouvi isso 3 vezes na mesma semana, parei pra pensar qual era a vantagem de não ser mais "verde". "Não encontrei nenhuma."
O que acontece é que jogam tudo em suas costas por que você é maduro e vai saber "administrar" sabe?! Até que começa a pesar e você cai com toda a bagagem, por culpa do peso, e as criaturas olham pra você e dizem "Mas como? Tu?" " Eu sim. E daí? Carrega tudo que eu carrego pra ver se tu não rola lomba abaixo?"

Que merda! As vezes eu odeio a confiança que as pessoas colocam em mim. Eu não sou tão responsável assim. "Ok, eu sou um pouco. Mas por que? Não quero apodrecer por ser tão madura."
Ah, se eu fosse mais verde.....

Débora Souza 28.10.2010

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

PQP

Eu sei que estou diferente. Mas é que tudo parece ter mudado de lugar sem se mexer.
Tem muita interrogação aqui dentro. Muitos caminhos. Muito tudo. Muito medo de pegar o caminho errado, entrar na selva e não conseguir sair.
Eu sei que tenho a mania de pegar o caminho mais longo, sem querer. Lei de Newton sabe?
Mas eu sou assim mesma. Vou pra vários caminhos, nenhum é bom o bastante e estou sempre perdida. Mas engano bem. Eu sei.

PQP. Que merda de interrogação. AAAAAAAAAAAAHHHHHH



Débora Souza 14.10.10

sábado, 9 de outubro de 2010

RECOMENDO

Livro: Leonilson "São tantas as verdades"



Ótimo livro
História do Artista Plástico Leonilson 1957-1993

Trecho do livro: "a palavra entrou realmente nos trabalhos. Eu estava muito apaixonado. Ficava sozinho, sem saber direito o que fazer. Então pensei em escrever nos desenhos em vez de ficar escrevendo em cadernos." (depoimento do artista)

Leonilson, pra mim, foi o artista das palavras. Vale a pena ler.

domingo, 26 de setembro de 2010

domingo, 5 de setembro de 2010

Das coisas que só acontecem comigo

Você já conseguiu amassar sua garrafa d'agua na porta de um carro?
Eu consegui. Chamamos isso de bolsa com bolsos laterais.

Você já conseguiu comprar um tenis, o qual os dois pés pareciam iguais, mas na verdade eram diferentes?
Eu consegui. Chamamos isso de feira do calçado e "meu pai me deu dinheiro para comprar um tenis, então tenho que voltar pra casa com um tenis."

Você já conseguiu ter uma aula de 2 semanas, as quais a professora pulava o seu nome na chamada TODOS os dias?
Eu consegui. Chamamos isso de aula de um dia sim, um dia não.

Você já conseguiu ter um carro roubado e achá-lo 5 minutos depois, estacionado em frente a uma loja?
Eu consegui. Chamamos isso de sorte.

Você já conseguiu machucar a mesma perna 2 vezes no mesmo ano?
Eu consegui. Chamamos isso de buracos e desastre humano.

Você já conseguiu..... Bom, vou parar por aqui, por que isso deprime.

O que você já conseguiu?
E assim ficou minha garrafa


Débora Souza 05.09.10

domingo, 29 de agosto de 2010

Meus conselhos para alguém de 15 anos

A menina chora dizendo que ele é a vida dela. O que eu posso fazer nesse caso? Bom, vendo pelo meu ângulo...

Eu -Meu bem, que idade você tem?

Ela -15. Buááááááááá

Eu -Ha,ha,ha,ha. E você acha que ele é o homem da sua vida? Se liga você vai ter uns 200 homens da sua vida. O seu Minguinho, o seu Vizinho, o Pai de todos, o Fura bolo, o Huguinho, o Zézinho, o Luizinho, o Baixinho, o Gordinho, o Magrinho, o Feinho e muitos inhos.
Alguns vão te chutar, outros serão chutados. Alguns você sentirá saudades, outros você vai olhar e pensar "será que eu estava bêbada?"
Até que um dia quando você estiver pensando em sua carreira e quiser dar um tempo no inhos, tchanam, vai aparecer o encosto de sua vida. Por que encosto? Ah sim, ninguém quer ter um encosto. O encosto aparece sem você prever. E como você não queria essa criatura agora, ele passa a ser o encosto da sua vida, até por que você tenta se livrar e não consegue. Não por que ele não deixa, mas por que você mesma não se deixa.
E adivinha? Ele vai ser completamente diferente do estilo de cara por quem você se interessava quando estava naquela fase de "sofrer por amor", sabe. Ex: HOJE.
Você acha que realmente a alguns anos atrás, lá pelos meus 16 anos, eu namoraria aquele barrigudinho ali? Nunca! Eu diria "Aiiii, eu não. Ele é gordinho."
Pergunta se essa frase faz algum sentido pra mim agora. NENHUM!

Pois é meu bem, aproveite seus inhos e deixe para se preocupar depois que tiver filhos. Se tiver é claro. Se não, compre um cachorro e seja feliz.

Débora Souza 29.08.2010

domingo, 8 de agosto de 2010

PESQUISANDO LEONILSON

LEONILSON...






... O ARTISTA POR QUEM ME APAIXONEI PELO TRABALHO NO DIA 05 DE AGOSTO DE 2010, SEMANA PASSADA MAIS EXATAMENTE. VALE APENAS LER MAIS SOBRE LEONILSON, ARTISTA PLÁSTICO, QUE INFELIZMENTE MORREU DE AIDS EM 1993. E O MUNDO PERDE MAIS UMA MENTE BRILHANTE E PENSANTE.

DEPOIS QUE APRESENTAR MEU TRABALHO SOBRE ELE, POSTO MAIS IMAGENS AQUI. MAS SE QUISER CONHECER ANTES DE ESPERAR POR MIM, OLHE AQUI.


Débora Souza 08.08.10

domingo, 1 de agosto de 2010

But I don't know why

Os dias passam mais rápido a cada semana. Estou pensando em parar para escrever aqui, faz tempo. Mas o tempo só me deixou no pensamento. Eu poderia ter morrido e nunca mais vocês veriam minhas palavras. Agora entendo a expressão "pensando morreu um burro". Por que o mundo é burro, quando deixa tudo para o amanhã.

O amanhã assombra, assusta e é chato por pegar no meu pé. Será que quando penso no amanhã permito que ele grude em minha sola, como um chiclet que foi atirado no chão por alguém, que sendo mais inteligente do que eu, não está nem ai pra ninguém e aproveita sem pensar no incosto do amanhã?

As vezes olho para algumas pessoas e vejo que o tempo é tão cruel, que faz com que elas passem a vida inteira cometendo os mesmos erros, sendo cada dia mais egoístas e mais idiotas.

Eu tenho um sério problema desde criança. Quando passei a frequentar a pré escola, haviam crianças, a maioria delas, que eu achava muito idiotas. Quando mudei de escola, isso continuou. Passei para o segundo grau e nada de isso mudar. Qual é o meu problema? Acho que espero de mais de quem tem pouco pra dar. É como o meio kilo de batata frita que eu comprei esses dias, esperando que viessem muitas batatas à minha mesa. Quando vi o pouco de batata, me dei conta que elas pesavam de mais.
Assim como são as batatas, são as pessoas. As vezes ser gentil, ajudar ou não fazer qualquer coisa para chamar a atenção, pesa de mais para elas. É mais leve se sentir melhor que os outros e dar pouca batata ao mundo.

Meu pai, é o tipo de pessoa que eu julgo de mais. Para ele nada está bom. Tudo é pouco. Para ele você sempre poderia ter feito melhor do que fez. Meu pai é pior do que mulher para se satisfazer. Eu tenho a sensação que tudo deveria ser como ele deseja, em seus mínimos detalhes, para deixá-lo com a sensação de missão cumprida e desejo realizado. Mas o pior não é isso. O pior, é que eu me pareço muito com ele.


Débora Souza 01.08.10

domingo, 6 de junho de 2010

sexta-feira, 21 de maio de 2010

......................................................... e não acaba

Estou escutando uma linda música, pra ver se consigo escutar algo que realmente queira escutar.
Poxa! Vida de gente grande é um saco.
Eu não tenho tempo nem pra ter um cachorro. Tentei ter um cachorro virtual, mas ele morreu de fome. Tentei programar o que ia fazer amanhã, mas já programaram pra mim.
Que merda! Quem disse que meu tempo é de alguém?
Um dia eu me revolto, viro a bunda pro mundo e deixo apenas a saudade do "pau pra toda obra".

Inédito: Um livro uma semana na bolsa sem ser tocado.
É por isso que as vezes eu mato aula pra tirar foto no banheiro. Mas foi por uma boa causa, eu juro.


Débora Souza 21.05.10

segunda-feira, 26 de abril de 2010

SOCORRO

Estou me deparando ultimamente com muitas reportagens de gente maluca, que mata por NADA. Nada mesmo, por que onde já se viu matar alguém que te da um tapinha nas costas com a mão suja, sem querer te sujar. Ninguém merece um guarda rodoviário atirar no pneu de um carro só por que achou que o mesmo não iria parar e o Incosto queria atravessar.
Poupem-nos, se tudo continuar assim tenho que me preocupar. Por que se for por bobagem, muita gente pode querer me liquidar.

A minha colega de, por eu sempre pedir: " Fulana, por favor isso, por favor aquilo..."
Minha mãe: Por motivos óbvios. Que filho que não torra a paciência?!
Meu pai: Óbvio também -> "Paitrocínio"
Minhas irmãs: "Vai ver se eu na esquina."
Meu namorado: OBS: Seria muito grande a lista.
Clientes
Colegas de filiais
Professores: "Eu odeio essa aula."
Amigas: "Não vou na festa."
Homens tarados na rua, pra quem eu mando para aquele lugar.
E blá blá blá

Ta difícil a vida, pra quem é chato... Boa sorte em sua existência e por favor cuidado onde respira.

Débora Souza 26.04.10

sábado, 24 de abril de 2010

A vida é brinquedo que para nada serve, a não ser para a alegria! (Rubem Alves)


Cara sábio esse Rubem...
...Pra que serve isso tudo? Pra aprender? POUPE-ME. Conheço muita gente com mais de 50, que até hoje não aprendeu o que realmente deveria. A falta de humildade é ridícula. O querer chamar a atenção a qualquer custo é ridículo. O se achar melhor que o mundo é repugnante.

Não pode vencê-los? Ria deles. Ria, sorria e poupe as rugas.



Débora Souza 24.04.10

sexta-feira, 2 de abril de 2010

O PINTOR QUE ESCREVIA

Autora: Leticia Wierzchowski
OBS: GAUCHA


Trecho:
" Por isso, eu fugi da Itália. Por isso, enlouqueço aos poucos. Mas a loucura do amor é como o vinho, nos alegra, embriaga, entontece. Por isso, voltei sempre a mesma taça. E morrerei bebendo dela."

sábado, 13 de março de 2010

Recomendo...


''- Berro maneiro - riu a figura, espremendo a mão de Holly e deixando-a do tamanho de um nabo.
Holly conseguiu soltar os dedos um nanossegundo antes que eles se partissem como macarrão seco.
- Imagino que você não vá admitir uma rendição pacífica, não é? - disse uma voz fria atrás dela.
Holly se virou, com os cotovelos erguidos para o combate.
- Não - suspirou o garoto melodramaticamente. - Acho que não.
Holly fez sua melhor cara de coragem.
- Recue, humano. Você não sabe com quem está lidando.
O garoto gargalhou.
- Acho, fada, que é você que não está familiarizada com os fatos."
Só um pedacinho de ARTEMIS FOWL, O MENINO PRODÍGIO DO CRIME.

sábado, 6 de março de 2010

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Ter o dom


Esse senhor simpático ai na foto é Flavio Scholles. Quem olha não diz que é um pintor famoso e quem conversa, também não.
Scholles é um dos Artistas Plásticos mais simpáticos do RS, apesar de ser um dos mais famosos também, não só o RS, mas do Brasil inteiro. Suas obras são conhecidas em todo o mundo. E acredite, ele é mais conhecido fora do Brasil, do que pelo nosso povo.

O que me chamou realmente a atenção nesse artista, é que ele sente prazer em contar a história de todos os seus quadros e dar atenção a quem lhe visita. Além de tudo, o cara é um gênio do conhecimento. Ele tem conhecimento saindo pelo nariz. O cara é do tipo UAU.

E olhem esta foto de seu ateliê. Quando começou a construir, foi aumentando aqui, esticando ali e quando viu, o lugar era uma cruz.

Localidade? Morro Reuter

Site? UAU

Outros Artistas UAU do RS. Neves , Scheffel , Carlão . Tem muito mais, mas eu preferi clocar apenas alguns queridicimos de minha cidade, NH.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Das merdas que eu faço na vida

Todo mundo faz merda. Políticos fazem mais do que só merda, mas isso deixa lá.


Eu odeio "bailão", sei lá se se chama assim aquelas músicas que as pessoas dançam juntas e jogam uma a outra pra lá e pra cá e tal, mas eu odeio.
O que tem isso a ver com a merda? Ah sim... Eu fui num lugar que só toca esse tipo de música. Porque? Me disseram que tinha músicas pra todos os gostos. Só esqueceram de dizer que era pra todos os gostos ruins.
O que restou? Cerveja. Não sou de beber, mas qualquer álcool era melhor do que aquela música. Nunca apreciei tanto uma Skol. E não é que desce redonda mesmo!?!


Como adoro dançar sozinha, dancei sozinha quando todos dançavam juntos. Como as pessoas conseguem dançar juntas? Dança pra mim é liberdade e liberdade não é se grudar, não. Sabe que gosto de forró e adoro dançar forró sozinha. Como? Tenta. É divertido e MUITO mais fácil.


Bom...Se tem quem goste, quem sou eu pra julgar... Mas por favor, nunca imagine meu saltinho 15 sobre seus pés.


Da próxima eu escuto minha intuição... e meu namorado ( eu sei que tu disse, eu sei ).


Mas a companhia das GIRLS valeu tudo. :D










Débora Souza 13.02.10

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

No Piiiiiiiiiiiiii de Bacopari


Bacopari. Aquela cidadesinha no interior de Mostardas. Aquela da crônica passada. Lembram? Não? Ok.

Voltei a Bacopari firme e certa de que ia chegar até o mar, dessa vez, pelas dunas. Eu não cheguei. Na verdade cheguei mas foi pela estrada mesmo e de carro. Não foi emocionante? É ai que vem a melhor parte. Foi tão emocionante quanto andar pelas dunas a pé durante duas a mais horas com muita areia movediça. Foi tudo de GOOD quanto. Isso por que existe peixe que adora se meter em mar de tubarão. Eu sou um Beta no meio do oceano.
A estrada era pra Jipe ou Caminhonete ou Caminhão ou sei lá, qualquer coisa grande. Mas não era pra Uno. E nós fomos de Uno. O nome dele é Godofredo, pra quem não conhece ( Carrinho simpático, um tanto teimoso, mas é só fazer um carinho que ele obedece) .
O pobre Godofredo quase virou, andou no meio de muita água, atolou na areia, foi rebocado por desconhecidos simpáticos e sobreviveu.
Vitória do Godofredo. Como ele está agora? Com um barulho esquisito, só tranca quando quer, da umas engasgadas, mas chegou em casa vivo. Vitória do peixinho que resolveu sair do aquário.

E Bacopari? Há sim, continua a mesma. Linda de babar.



Débora Souza – 08.02.10

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Ninguém escreveu

Ninguém escreveu minha vida. Meus passos errados são meus. Minha mãe me colocou no mundo e o próprio me perdeu. Querem mandar na minha vida. Pode tentar, o problema é seu. Ditar regras não muda nada. Eu quebro regras. Meu mundo é meu.


Débora Souza 22.01.10

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Interrogação

Eu sou aquela que não ve sentido nas pessoas que não se importam com as outras e todo santo começo de ano eu tento começar a não me importar com quem não se importa. Eu não consigo.


Eu sou aquela que odeia inverno e anda de pantufa no verão.


Eu sou aquela que todos acham a mais normal do mundo e me sinto a ovelha negra de todos os lugares. Meus pensamentos sempre são diferentes e eu prefiro não comentar.


Eu sou aquela que consegue cair da bóia no tobogã. Aquela que teve que descer a pé da montanha russa porque a roda quebrou. Aquela que quase se afoga em uma piscina infantil. Aquela que é mais míope que a própria avó e sai sem óculos por ai, comprimentando quem nunca viu.


A antipática mais simpática. A anti-social mais sociável. A mala mais bolsa. A que gosta de caminhar de salto alto. A que anota tudo e não lembra de nada. A séria mais sorridente. A intelectual que nunca estuda. A cara de brava mais debochada.



Débora Souza 11.01.10

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

CENOURA, OVO OU CAFÉ?

Uma filha se queixou a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam tão difíceis para ela. Ela já não sabia mais o que fazer, queria desistir. Estava cansada de lutar e combater. Parecia que assim que um problema estava resolvido um outro surgia.

Seu pai, "um chef", levou-a até a cozinha dele. Encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto. Logo as panelas começaram a ferver. Em uma ele colocou cenouras, em outra colocou ovos e, na ultima pó de café. Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra.

A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo. Cerca de vinte minutos depois, ele apagou as bocas de gás. Pescou as cenouras e as colocou em um prato. Retirou os ovos e os colocou em uma tigela. Então pegou o café com uma concha e o colocou em uma caneca.

Virando-se para ela, perguntou: Querida o que você está vendo? Cenouras, ovos e café, ela respondeu.
Ele a trouxe para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras.
Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias.
Ele então, pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse.
Ela obedecera e depois de retirar a casca verificou que o ovo endurecera com a fervura. Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole do café.
Ela sorriu ao provar seu aroma delicioso.

Ela perguntou: o que isto significa, pai? Ele explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade, a água fervendo, mas que cada um reagira de forma diferente. A cenoura entrara forte, firme e inflexível. Mas depois de ter sido submetida a água fervendo, ela amolecera e se tornara frágil. Os ovos eram frágeis. Sua casca fina havia protegido o liquido interior. Mas após terem sido colocados na água fervendo, seu interior se tornou mais rijo. O pó de café, contudo, era incomparável. Depois que fora jogado na água fervente, ele havia mudado a água.

Qual deles é você? Perguntou o pai a sua filha. Quando a adversidade bate a sua porta, como você responde? Você é uma cenoura, um ovo ou um pó de café? Você é como a cenoura que parece forte, mas com a dor e a adversidade você murcha e se torna frágil e perde a sua força? Será que você é como o ovo, que começa com um coração maleável, mas depois de uma adversidade, você se torna mais difícil e duro? Sua casca parece a mesma, mas você está mais amargo e obstinado, com o coração e o espírito inflexíveis? Ou será que você é como o pó de café, que muda a água fervente, a coisa que está trazendo a dor, para conseguir o Máximo de seu sabor? SEJA COMO O PÓ DE CAFÉ, MUDE A ADVERSIDADE EM ALGO POSITIVO!

AUTOR DESCONHECIDO