Follow by Email

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Desenhos by Me

Olá! Não disse que voltaria? E voltei!

Esses desenhos abaixo foram feitos por mim no curso de Desenho de moda. Espero que gostem!
Muita beleza e alegria para todos no próximo ano... E saúde e paz também, porque não da pra ficar sem....
;)







domingo, 20 de novembro de 2011

Voltarei

Prometo voltar assim que tudo que me envolvi acabar. E vou tentar não ficar mais ausente e voltar a comentar nos blogs de todos.

Enquanto isso, curtam as tendências para o inverno 2012... Beijos

Débora Souza 20.11.2011








domingo, 9 de outubro de 2011

EU Q FIZ

Essa camiseta cheia de buraquinhos é um dos chodós do meu guarda roupa. Primeiro, por que eu adoro usá-la. Segundo, por que eu mesma fiz.
No natal de 2009, fizemos o amigo secreto de final de ano em família, assim como todos os anos. Peguei meu cunhado e comprei uma camiseta (Muito difícil comprar presente pra homem.). A camiseta foi colocada umas 2 semanas antes do natal, abaixo da árvore. Nesse tempo, meu pai resolveu limpar as paredes e um liquido escorreu até os presentes da árvore. Mas só fomos notar na hora de entregar os presentes que a camiseta estava manchada.

Ao invés de trocar o presente, comprei outro e fiquei com a camiseta. Cortei a gola, para ficar com o ombro caído de um lado, fiz uma bainha (como a minha cara), dobrei as mangas e costurei, peguei uma base de ferro, coloquei a camiseta sobre a base e com a ajuda de um estilete comecei a cortar como mini risquinhos.

E ai está ela. Uso com tudo. Mas essa foi a primeira vez que experimentei com saia lápis, e gostei.









Débora Souza 09.10.2011

sábado, 1 de outubro de 2011

Glória Kalil

Boa tarde!

Quarta, 28 de setembro, fui ver uma palestra da Glória Kalil em minha cidade, Novo Hamburgo. Ela veio para a Courovisão 2011.
Glória falou sobre as tendências do inverno 2012. Falou também sobre o mercado da moda. Para ela, quem vê a moda de fora acha que o mercado está muito bom. Mas quem trabalha diretamente com a moda, sabe que não é bem assim.

Algumas frases de Glória:
"a oferta de matéria-prima brasileira no universo calçadista é fantástica. Isto não existe em relação a tecidos, que acabam sendo importados para a efetivação da produção"

“Hoje o consumidor é volúvel, mimado, exigente e infiel”

“Temos uma participação muito pequena no exterior. Não temos marcas fortes conhecidas no mundo” (Segundo ela a marca brasileira mais conhecida no exterior, é Havaianas. O que não me deixou nada feliz. Nós Brasileiros temos marcas muito boas e podemos representar a moda assim como somos conhecidos pelo futebol. Deixando bem claro que amo Havaianas)

“Está tudo bege e preto nas vitrines de Paris” (Ela achou sem graça.)


Bom, tentei gravar um pedaço da palestra, mas o som ta baixicimo. Segue abaixo a foto le longe que minha querida máquina tentou tirar. Segue também o link do site da feira.




Débora Souza 01.10.2011

domingo, 25 de setembro de 2011

EU Q FIZ

Olá!

Depois de um bom tempo sem aparecer por aqui, volto com uma nova postagem. Um pouco diferente do que costumava escrever.
Meu "novo" interesse é moda. Não é exatamente novo, por que sempre me interessei. Mas nunca postei nada do tipo, a não ser os modelos de oxford que achei lindos.

Esse post é o primeiro, espero de muitos, do EU Q FIZ. Pois é! Feito por eu mesma, Débora Souza.
É uma faixa de cabelo feita com tecido. Se olharem bem o detalhe das 2 últimas fotos, vão perceber que fiz como uma trança e costurei as pontas.
Espero que curtam...




Débora Souza 25.09.11

sexta-feira, 29 de julho de 2011

A

Hoje percebi que ontem foi natal e hoje já é Julho. Semana que vem será Agosto e ainda sou eu, no mesmo eu que eu era antes. Talvez um eu mais amadurecido ou menos entristecido.

Eu não sou mais adolescente... Mas as vezes me sinto aborrecente.
Eu não sou mais adolescente... E não faz tanta falta pedir permissão.
Eu não sou mais adolescente... E por que não vou, se agora posso escolher pra onde ir?

Talvez amanhã seja tarde. Por que continuarei não sendo adolescente. E talvez nem serei mais...

Débora Souza 29.07.11

sábado, 28 de maio de 2011

domingo, 17 de abril de 2011

COMO?

Você já tentou abraçar o mundo? Deu certo? Não cansou? Não teve a sensação que tudo estava prestes a cair? Que o lado direito fugiria por cima, o esquerdo por baixo e o do meio, assim sem paredes, iria para o chão? Não doeu suas costas? Não tinha peso de mais? Não sentiu dormência, sonolência e falta de paciência? Não achou que faltavam mãos, braços e um pouco de espaço? Não achou que a memória diminuiu junto com o tempo? Não viu que tinha a ilusão de ser um super-homem?

Percebeu que estava na hora do herói se aposentar? Sim? Como? Como aceitou? Como encarou? Como mudou? Como não pirou, droga!? Como sobreviveu? Não se pergunta ainda por que você? Por que foi necessário? Por que te diziam que não era vida? Por que você sempre soube que não era, mas por que não? Por que não podia ser?

Como chegou nessa? Já parou pra pensar como pirou? Como tantas coisas entraram em sua cabeça ao mesmo tempo? Como pode cair no seu próprio golpe? Como não se deu conta do que deixou pra trás? É, pra trás. Você pode abraçar o mundo e carregá-lo enquanto conseguir. Mas pedaços da vida vão ficando pelo caminho.


Por que? Como?



Débora Souza 17.04.2011

quinta-feira, 24 de março de 2011

POR UMA VISÃO MAIS BELA

O mundo ficaria bem mais bonito se as pessoas se arrumassem um pouquinho melhor. Nada contra quem prefere andar "largado", mas você não se sente melhor quando se vê melhor? Quando está no mínimo decente, com calça jeans e camiseta, e não com calça suplex e salto alto (Deus me livre)?
Só gostaria de dizer que um pouco de bom senso não faz mal a ninguém, só bem.


Débora Souza 24.03.11

quinta-feira, 17 de março de 2011

Fútil e útil

Pode até parecer meio fútil, mas se tem algo de que não abro mão, é um bom sapato. Confortável, lindo, macio, lindo, flexível, lindo e lindo e mais lindo...

Olhem os Oxford floridos. São tudo.



Na verdade é fútil mesmo. E daí?

Débora Souza 17.03.2011

terça-feira, 8 de março de 2011

TODA MULHER É MALA

A mulher consegue ser tudo. Já viu um ser tão versátil quanto a mulher?
A louca consegue trabalhar o dia inteiro e ainda ser mãe, mulher, amante, sogra, filha, irmã, chata, boazinha, engraçada, gorda de mais, magra de mais, linda de mais, dona de cão, dona de gato, conversar com o papagaio, fazer compras e ainda respirar.

Toda mulher é uma mala bem cheia de tudo. As malas que ficam paradas, acabam sendo esquecidas, ficam empoeiradas, enferrujadas, mal amadas, adas...
Já guardou uma mala em baixo da cama ou em cima do guarda roupa?
Anos depois você encontra a mala e pensa quando foi a última vez que a usou. "Nossa! Faz tanto tempo desde a última vez que a enchi e carreguei ela por ai. Não tinha nem rodinhas na época."

A mulher é uma mala que precisa repor seu conteúdo, não só doar o que tem. A mulher é tão cheia de tudo que precisa se expandir, rodar, girar, aumentar sua bagagem. Toda mulher tem tudo dentro de si esperando para ser solto ou ganhar companhia de mais conteúdo.

Já percebeu como uma mulher consegue fazer 200 coisas ao mesmo tempo? Não? Então você é homem.

Feliz dia internacional da mulher.

OBS: Quando um homem diz que você não pode, na verdade quem não pode é ele.


Débora Souza 08.03.2011

(Escultura em cerâmica. Artista, Débora Souza)

quarta-feira, 2 de março de 2011

Eu não sei ter férias

Hoje descobri que não sei estar de férias. Não é por não ter o que fazer, é o contrario, eu tenho tantas coisinhas deixadas pra trás pra fazer, que não sei o que fazer primeiro. Bom, dormir é uma delas , já que normalmente não durmo muito. Mas pergunta se consigo dormir até muito tarde, como pessoas normais fariam se estivessem de férias. Não.
O negócio é o seguinte... Tenho que organizar, não o que tenho a fazer. Tenho que organizar as ideias.

Fui.......

Débora Souza 02.03.2011

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

A BUSCA PELA PERFEIÇÃO

CISNE NEGRO

ÓTIMO FILME
ÓTIMO ELENCO
ÓTIMA HISTÓRIA
ÓTIMA DEMONSTRAÇÃO DA DOENÇA DIÁRIA DO SER HUMANO

Querer ser perfeito. Achar que o outro é quem vai tirá-lo do seu lugar. Quem tem mais chance de derrubá-lo, é você mesmo. A obsessão diária................. A doença.



Recomendo
Débora Souza 18.02.2011

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

LINHAS TORTAS

Todas as linhas que foram traçadas tornas em minha vida, até hoje, foram feitas enquanto eu fazia a coisa certa.

Sempre quando arriscamos em algo nunca feito por nós antes, vamos fazer curvas e linhas tortas, até chegarmos ao reto. Ai nos chateamos e vamos entortar outra coisa.

Eu pinto quadros e faço desenhos. Mas pergunta quantas linhas retas meu lápis já fez. Da pra contar nos dedos. A linha até começa reta, mas acho que eu me distraio no caminho e vou ver o que se passa ao lado. Assim é com a máquina de costura. Nunca vi roupas tão tortas quanto as minhas. Mas quando vejo pronto, esqueço das curvas.


(Olha a criança desenhando no Paint)

Débora Souza 07.02.2011

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Só um minuto, por favor!

Só um minuto que eu preciso te deixar a vida inteira esperando por minha preguiça exagerada.
Aguarda um segundo, por que agora estou preferindo deixar tudo pra amanhã. Ah, é melhor ligar semana que vem por que amanhã vou empurrar tudo com a barriga. Espera! Lembrei que semana que vem preciso colocar em dia, minhas pendências do ano retrasado e no mês que vem, se der tempo, as do ano passado.
Bom, vamos fazer melhor...Me envia piadas por e-mail, por que assim lembro que um dia tenho que te dar um retorno.

E assim é que me deixam esperando e eu deixo planos esperarem por mim. E planos esperando, se tornam planos esquecidos. Planos esquecidos se não são relembrados, são apenas enterrados.

Vou relembrando e atropelando tudo pra poder riscar minhas listas até o fim. Listas, nas quais também nunca olho até terminar. Confio na memória e é por isso que não lembro de lembrar do que esqueci.

Só um minuto por favor! Preciso colocar minhas prioridades na frente. E prioridades são o que deixei pra trás, por que precisava dar conta do urgênte.

To deixando o urgênte de lado. Não sei se é certo ou incerto ou errado deixar o que os seres da razão não daixariam de lado. Eu nunca soube de nada mesmo, ou achava que sabia, e agora estou atrasada. Talvez atrasada na hora certa.

Débora Souza 01.02.2011