Follow by Email

domingo, 1 de agosto de 2010

But I don't know why

Os dias passam mais rápido a cada semana. Estou pensando em parar para escrever aqui, faz tempo. Mas o tempo só me deixou no pensamento. Eu poderia ter morrido e nunca mais vocês veriam minhas palavras. Agora entendo a expressão "pensando morreu um burro". Por que o mundo é burro, quando deixa tudo para o amanhã.

O amanhã assombra, assusta e é chato por pegar no meu pé. Será que quando penso no amanhã permito que ele grude em minha sola, como um chiclet que foi atirado no chão por alguém, que sendo mais inteligente do que eu, não está nem ai pra ninguém e aproveita sem pensar no incosto do amanhã?

As vezes olho para algumas pessoas e vejo que o tempo é tão cruel, que faz com que elas passem a vida inteira cometendo os mesmos erros, sendo cada dia mais egoístas e mais idiotas.

Eu tenho um sério problema desde criança. Quando passei a frequentar a pré escola, haviam crianças, a maioria delas, que eu achava muito idiotas. Quando mudei de escola, isso continuou. Passei para o segundo grau e nada de isso mudar. Qual é o meu problema? Acho que espero de mais de quem tem pouco pra dar. É como o meio kilo de batata frita que eu comprei esses dias, esperando que viessem muitas batatas à minha mesa. Quando vi o pouco de batata, me dei conta que elas pesavam de mais.
Assim como são as batatas, são as pessoas. As vezes ser gentil, ajudar ou não fazer qualquer coisa para chamar a atenção, pesa de mais para elas. É mais leve se sentir melhor que os outros e dar pouca batata ao mundo.

Meu pai, é o tipo de pessoa que eu julgo de mais. Para ele nada está bom. Tudo é pouco. Para ele você sempre poderia ter feito melhor do que fez. Meu pai é pior do que mulher para se satisfazer. Eu tenho a sensação que tudo deveria ser como ele deseja, em seus mínimos detalhes, para deixá-lo com a sensação de missão cumprida e desejo realizado. Mas o pior não é isso. O pior, é que eu me pareço muito com ele.


Débora Souza 01.08.10

3 comentários:

  1. Débora
    As pessoas oferecem apenas o que tem,seria desgastente e frustrante querer mais q isso.
    o mesmo ocorre conosco,nunca conseguiremos satisfazer a todos.
    Dou-me por satisfeita quando (e olha q tenho uma auto critica feroz) consigo perceber que fiz meu melhor possivel.

    e isso...já é muito bom,agora se os outros vão se sentir felizes com isso,ai já é um problema do OUTRO e não meu.

    afagos e carinhos de bom retorno

    Denise

    ResponderExcluir
  2. Obaaaaaaa! Que bom ter você aqui novamente!

    Tempo de questionamentos, não é?
    Se for, saiba que tem dias que estou assim. Olho pra dentro, olho pra fora, questiono e, de todas as respostas que chegam, ou pela falta delas, eu cresço!

    Adoro o seu jeito de expor aqui o que sai dessa caixola! risos

    Ahhh!! Adorei a foto do banheiro! Perfeita!

    Muitos beijosssss

    ResponderExcluir
  3. Pior é que tem pessoas que nunca se satisfazem, não importa o quanto você se esforce...

    ResponderExcluir